São Gulik e a Metafísica da magia

image

Da série de textos encontrados em uma ranhura de unha nas paredes da cachoeira do deserto,  atributos a St.  Gulik.

Dos mais variados nomes,  sempre se buscou compreender aquilo que já está ali. Como a espécie forma suas incoerências? As bases são ácidas para toda mente cuja a imaginação é limitada.

Embora o poder reside em um pedaço de pinha orgânica situada na escuridão de seus crânio,  Nao enxergam para acreditar se realmente há uma glândula ali. Observam dos demais, mas a própria se mantém às cegas. E mesmo assim devem ver para crer. Para ver, a morte o espera. (Tradução pode ser” o fim o espreita” ).

A magia está no miolo de suas cabeças. É um sonho realizado,  ou ilusão mental que finge ser verdadeira. Cada ser exala um raio de emoções baseadas e sua linha temporal.

As forças do ar de cima e do ar de baixo pode e deve ser aprisionada conforme sua vontade. Esse ar de cima é o arroto (ou voz,  do sumério ‘Gu’.) E o de baixo é o peido (ou malkuth) .

Toda criação é um ato divino,  desde que seja sincero.  Sinceridade é a arte dos Deuses. Dissimulação é a arte dos humanos. Purificai antes de presentear. Presentear antes de ver.

Enquanto vacas voam, o feno permanece. E aquilo que está escrito também permanece

Gulik é o Mensageiro da Deusa e afirma que o vazio é apenas uma espécie de ilusão infinita (1/0) .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s