Polímeros e Macromoléculas

O caos está nos lugares mais inusitados

Nosso mundo tão material feitos de matéria da qual muitas vezes nem nos damos conta do que são…

Polímeros e macromoléculas são moléculas enormes. Um exemplo de macromolécula são os carboidratos. Polímeros são moléculas que possuem uma  unidade básica de repetição, por exemplo, polietileno. A palavra polímero vem do Grego, significando Poli, muitos e mero, unidade que se repete. Ou seja… Muitas repetições.

Polietileno que compõe boa parte dos plásticos que você possui em casa (galão de amaciante, de água sanitária, pote de sorvete, etc…) possui o mero (base de repetição) da figura abaixo:

O mero do polietileno é o etileno (polietileno = muitos etilenos) que é C2H2. Um catalisador quebra a dupla  ligação que há no etileno (H2C=CH2) formando um radical livre que reagirá com outra molécula de etileno. Essa ligação é um efeito dominó e assim vai formando uma “corrente” de etilenos… Um polímero normalmente possui 10000 repetições.

Esse tamanho da cadeia  polimérica (a corrente de etilenos) é o que determina o seu peso molecular, e com o peso molecular se obtém diversas propriedades, entre elas as mecânicas (o que diferencia de um plástico mole para um mais rígido ou duro).

Em geral os polímeros não cristalizam, ou seja, são amorfos. Os polímeros são caóticos, sendo um emaranhado de cadeias poliméricas que se enroscam em um amor eterno até que um calorzinho as vibram deixando-as excitadas…

 

O caos as deixam transparente. O que quero dizer é que um plástico transparente, tal como o vidro, não possuem organização molecular. Elas estão disposta de forma aleatória!

A garrafa de coca-cola é feito de PoliTereftalato de Etila (PoliEthyleneTerephtalate), advindo de uma reação de polimerização do tipo condensação, significando que a reação gera como um subproduto, ou um produto a mais além da molécula de PET, água.

Ao contrário do Polietileno, o PET precisa de dois reagentes iniciais para formar a unidade de repetição posterior. O Etileno é o precursor monomérico para a formação do polietileno, já o PET necessita do ácido tereftalatálico e do etileno glicol para formar o tereftalato de etileno, que será o mero repetidor.

 

Outro polímero muito usado é o tal do Isopor! Na real Isopor é marca, o polímero mesmo é o poliestireno, figura abaixo:

O estireno é uma molécula formada de benzeno contendo uma etila na posição pára do anel aromático (sei que isso está mega confuso… mas o blog é para bugar seu cérebro xD).

 

Antes de iniciar a polimerização o estireno é assim:

A dupla ligação é atacada pelo catalizador e então por instabilização química ele se liga com outros estirenos instáveis. Assim vai formando a cadeia polimérica, como se fosse uma corrente de moléculas.

14

 

O poliestireno passa por um processo de expansão com um gás para se tornar aqueles isopores. O termo técnico daquilo é poliestireno expandido. Agora que você sabe disso, vá agora no super mercado e peça um café e que ela ponha em um copo de poliestireno expandido!!

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s