Uma História Zen

APENAS UMA FRASE AVULSA. NÃO DÊ IMPORTÂNCIA A ELA.

zen

Eu me preocupo com que os discordianos leêm por ai. Eles podem acreditar. Foi pensando nisso que resolvi a escrever algo de util.

Bem.. nem tão útil assim.

Mas algo que valha o tempo perdido aqui nesse recanto dos hospícios.

Queria antes de mais nada dar um pequeno comentário a respeito de um antidiscordiano que se chama Natan Dantas… pensando bem, vou dedicar uma resposta à ele em um post especial.

Vamos ao que interessa.

Eu sempre admirei os koans que há no PD. É sobre um deles que venho aqui encher o saco de vocês.

UMA HISTÓRIA ZEN

Por Camden Benares, Conde de Cinco.
Chefão,Cabala de Campo Meeker
Um sério jovem pensava que os conflitos do meio do século 20 estavam
confusos.Ele buscou a muitas pessoas procurando um modo de resolver as
Discórdias de seu próprio ser que o aturdiam, mas permaneceu aturdido.
Numa noite em uma cafeteira, um auto-ordenado Mestre Zen lhe disse:”Vá
para a mansão caindo aos pedaços que encontrará no endereço que eu
escrevi para você.Não fale com aqueles que lá vivem;você deve permanecer
em silêncio até que a lua nasça no dia seguinte.Vá para a grande sala á
direita do corredor principal, sente-se na posição de lótus no topo dos
escombros do canto nordeste, olhe para o canto, e medite”.
Ele fez como o Mestre Zen instruir-lhe-á. Sua meditação era
freqüentemente interrompida por preocupações.Ele preocupava-se se iria ou
não cair os encanamentos do segundo andar para se juntar aos escombros e
canos nos quais ele estava sentado.Ele preocupava-se se saberia quando a
lua nasceria na próxima noite.Ele procurou-se sobre o que diziam as
pessoas que ali passavam sobre ele.
Sua preocupação e meditação foram perturbadas quando, como se testasse
sua fé, excrementos do segundo andar caíram sobre ele.Nesse instante duas
pessoas ali passavam.O primeiro perguntou quem era aquele homem ali
sentado.Ao que o segundo respondeu: “Alguns dizem que ele é um homem
santo. Outros dizem que ele é um bosta”.
Ouvindo isso, o homem foi iluminado.

Esse koan está na página 00005 do PD e pode ter inúmeras interpretações e cabe a você decidir qual é menos absurda.

Podemos notar que a visão das pessoas dependem dela mesmo. As suas atitudes podem gerar dois ou mais interpretações de si mesma. Assim como o homem que poderia ser um santo e um bosta ao mesmo tempo, você diante das pessoas pode ser um santo ou um bosta ao mesmo. Certamente você é os dois e nenhum deles ao mesmo tempo. Você é aquilo que você é.

Outra interpretação é que todo mundo no fundo é um saco de bosta. O que é um “Deus” para uns , para outros não passa de uma insignificância sem tamanho. Entende que as coisas são relativas? Nada é absoluto. Nem mesmo essa afirmação.

Esse koan me causou uma impressão muito profunda. Um por que me fez rir devido ao final inesperado da história. E dois, por causa da mensagem oculta por trás dessa historia zen.

Reflita.

O PD é repleto de mensagens que não se acolhe pela razão.

Mantenha sempre uma segunda intenção, para caso da primeira falhar

.:23:.

FNORD

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s