O Tao do Discordianismo

Pra quem já leu o Principia Discordia consegue ver uma clara ideia de quebrar  os paradigmas ocidentais. A lógica e o hábito de dar sentido a tudo nos torna com o tempo prisioneiros de uma falsa prisão. O Discordianismo por mais que seja uma religião satírica e totalmente sem objetivo, acabou transformando muitas mentes. Algumas foram libertadas.

O Principia Discordia é um amontoado de textos, parábolas, koans e aforismos que tenta explicar tudo com nada. Originalmente surgida como uma Zine, com o tempo se tornou uma espécie de “manual de sobrevivência” para alguns malucos.

Dentro desse livro encontramos uma mensagem, bem no finalzinho, em que diz que o Nonsense é a salvação da humanidade. Mas que nonsense é esse?

O Zen e o Taoismo traz a noção de seguir o fluxo natural das coisas, apenas observando. Parece um pouco passivo demais, não? Essa é o equívoco que se a mente ocidental faz . Aceitar é não entrar em conflito. Para entender bem esse conceito, imagine duas paredes paralelas e um ponto no meio, como demonstrado na figura abaixo:

Slide1

Você é a bolinha inserido no centro dos limites. Quando você se aproxima das bordas, como observado na condição 2, você entra em conflito. As bordas não se moverão dessa maneira, o que acaba ocasionando uma série de reações emocionais (frustração, impotência, raiva, ódio, etc…). A concepção do Zen e do Taoismo é estar no centro, ocasionalmente terá um deslocamento para as bordas, observa-se as bordas, mas não se entra em confronto com os limites e então volta para o centro. A água se deixa levar pela correnteza gravidade abaixo.

Colocar conceitos e dar sentido em tudo é se fechar numa prisão com limites estreitos. O Discordianismo traz uma possível solução para essas falsas prisões. Em certas circunstâncias é bem semelhante ao que o Zen traz, em especial o Zen Rinzai. A solução para esse dilema não é enfrentar as bordas, mas expandi-las, como observado na imagem abaixo:

Slide2

Dessa forma o espaço de ação é maior, mesmo tendo limites. Na verdade sempre haverá um limite, por mais que os espaço seja tão grande que aparentemente não há. É fácil imaginar isso, basta lembrar dos mapas dos jogos de RPG.

Tao literalmente significa “Caminho”. O Tao do Discordianismo é expandir esses limites retirando as grades das janelas, que são os conceitos. É muito mais do que desconstrução, é uma forma nova de enxergas as coisas sem precisar enfrentá-las como animais selvagens em uma jaula. Como se retira as grades? Obviamente com Nonsense.

Resultado de imagem para Nonsense

O Nonsense tem um codinome: FNORD. Portanto O Tao do Discordianismo é ver e usar o Fnord.

Esse texto faz parte da filosofia Zen Discordiana que é o uso prático do discordianismo, que está sendo desenvolvida pela Sociedade Fnordiana Discordiana em conjunto ao Secto dos Zen Modernos da qual o motto é: Sem Luz, sem Chá.

Portanto aguardem…

Material complementar:

Koans Discordianos

Lições Discordianas

********

.:23:.

W

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s